Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Governo do RS avança no combate à evasão escolar e promoção da paz em regiões com altos índices de violência e vulnerabilidade

Publicação:

Governo do RS avança no combate à evasão escolar e promoção da paz em regiões com altos índices de violência e vulnerabilidade
Governo do RS avança no combate à evasão escolar e promoção da paz em regiões com altos índices de violência e vulnerabilidade - Foto: Maurício Tonetto

Com mais de 100 escolas públicas envolvidas, o Escola + Paz celebrou nesta sexta-feira (19) uma importante conquista: a formação de mais de 1,2 mil facilitadores para trabalhar em prol da justiça restaurativa e da construção da cultura da paz nas comunidades escolares de maior vulnerabilidade social da Região Metropolitana de Porto Alegre.

Iniciativa do Governo do Estado, o programa tem como objetivo implantar princípios e práticas da Justiça Restaurativa e dos Círculos de Construção de Paz para diminuir a evasão escolar e a violência. O Escola + Paz é coordenado pela Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, com apoio da Secretaria de Estado da Educação e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Governo do RS avança no combate à evasão escolar e promoção da paz em regiões com altos índices de violência e vulnerabilidade
Governo do RS avança no combate à evasão escolar e promoção da paz em regiões com altos índices de violência e vulnerabilidade - Foto: Maurício Tonetto
Secretário Catarina Paladini
Secretário Catarina Paladini - Foto: Maurício Tonetto
Governo do RS avança no combate à evasão escolar e promoção da paz em regiões com altos índices de violência e vulnerabilidade
Governo do RS avança no combate à evasão escolar e promoção da paz em regiões com altos índices de violência e vulnerabilidade - Foto: Maurício Tonetto

“Precisamos fazer agora com que essa política seja de Estado, e não apenas de governos. Necessitamos de um projeto de lei que transforme a ação numa política perene. É um momento de maturação e validação de tudo que é desenvolvido nos nossos Centros da Juventude (CJs), fundamental dentro do contexto”, afirma o secretário de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Catarina Paladini.

As práticas de Justiça Restaurativa e dos Círculos de Construção de Paz estão sob responsabilidade técnica da Escola de Magistratura da Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (Ajuris). De acordo com a presidente da entidade, desembargadora Vera Lúcia Deboni, a sociedade gaúcha vai colher excelentes resultados:

“Estamos muito honrados porque fizemos uma entrega honesta, competente e que vai frutificar. Preparamos os senhores (formados) com aquilo que tínhamos de bom. É com essa multiplicação que vamos fazer mais, com resultados diferentes”.

Dos 1.249 formados, 214 vão para a Lomba do Pinheiro, 214 para o Rubem Berta, 200 para Viamão, 211 para Alvorada, 201 para a Cruzeiro e 209 para a Restinga. Nestas regiões há também Centros da Juventude, que integram o Programa de Oportunidades e Direitos (POD). Com educação, promoção da paz, combate à evasão escolar e profissionalização, Estado e sociedade civil buscam transformar as vidas de milhares de jovens e criar alternativas reais à criminalidade e violência.

“Tenho um respeito muito grande pelo trabalho que está sendo desenvolvido e pelas instituições inseridas. Queremos seguir participando dessa história, unidos e de mãos dadas com todos. Que o exército da justiça restaurativa siga firma e forte”, diz o promotor Élcio Resmini.

O Escola + Paz teve início em abril de 2018. Desde então, são realizados cursos de formação e capacitação, workshops, seminários e oficinas para preparar os facilitadores de forma interdisciplinar.

Texto: Maurício Tonetto ASCOM/SJCDH

SJCDH - Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos