Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Mais de 100 jovens da Fase são aprovados na primeira etapa da Olimpíada Brasileira de Matemática

Publicação:

.
. - Foto: Galileu Oldenburg / Arquivo Fase

Um total de 103 adolescentes da Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase) obteve a pontuação necessária para permanecer na competição e seguir na disputa da segunda etapa da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) que ocorrerá em 28 de setembro. As provas iniciais foram realizadas no mês de maio quando 809 jovens de todos os centros de internação da Fundação no Rio Grande do Sul foram testados nas escolas estaduais que atendem aos socioeducandos dentro das unidades. O público-alvo da OBMEP é composto por alunos do 6º ano do Ensino Fundamental até último ano do Ensino Médio.

Em Porto Alegre, pela Escola Estadual de Ensino Médio (EEEM) Senador Pasqualini, que atende aos jovens das unidades Case Padre Cacique e CIPCS, 14 jovens estão aptos a participar da nova etapa, bem como outros 31 adolescentes da EEEM Tom Jobim, que atende as quatro unidades do Complexo Cruzeiro. A EEEM Bento Gonçalves, situada no Case Novo Hamburgo, teve aprovados 29 alunos. No interior, foram aprovados 11 jovens da EEEM Dom Antônio Zattera (Case Pelotas), outros 10 alunos da EEEM Paulo Freire (Case Passo Fundo) e mais 10 da EEEM Dolores da Cunha (Case Uruguaiana).

O presidente da Fase, Robson Luis Zinn, destacou o papel do corpo docente das escolas que atuam dentro sistema socioeducativo. “Os professores têm um papel importantíssimo no processo de ressocialização dos adolescentes, na medida em que resgatam o vínculo escolar perdido quando o jovem abandonou os estudos na rua e o estimulam a dar continuidade a sua vida escolar, especialmente para quando o socioeducando for desligado do sistema. Recentemente tivemos a aprovação de 86,8% dos jovens do Ensino Médio no Encceja e, agora, mais de uma centena que seguem para a próxima etapa da OBMEP. Esses excelentes resultados são frutos de um trabalho sério e comprometido”, disse.

Para a coordenadora pedagógica da Fundação, Janaína Mildner, a participação dos nossos adolescentes na OBMEP representa a materialização do incentivo e busca constante da qualificação da oferta do ensino nas escolas inseridas na Fase. “A partir desta ação buscamos concretizar as habilidades dos adolescentes e incentivá-los aos estudos, resgatando a autoconfiança, o interesse e o empenho no aprofundamento dos conhecimentos, além de estimular a aplicação de metodologias diferenciadas nas nossas salas de aula, que a partir dos resultados nos proporcionam condições para o debate sobre o trabalho e as melhorias pedagógicas”.

Interior em destaque
Se levarmos em conta o percentual de alunos aprovados na primeira etapa da competição em relação ao número de inscritos por escola, algumas instituições de ensino do interior obtiveram resultados acima da média do sistema. É o caso da EEEM Dolores da Cunha, que funciona no Case Uruguaiana, e que registrou o maior percentual de alunos aprovados com 25,6%. “Fiquei muito feliz com a notícia. No meu entender, chegamos a esse resultado pois a escola prioriza a qualidade no atendimento pedagógico, interage com os alunos e sua realidade, tendo como resultado o desenvolvimento de habilidades e construção de conhecimentos”, disse a diretora Elizabeth Rilo.

Na segunda colocação, a EEEM Dom Antônio Zattera, do Case Pelotas, aprovou 20,3% dos participantes.A diretora da instituição de ensino, Márcia Frizzo Amaral, destaca que com muita alegria e orgulho recebeu essa notícia. “Gostaria de salientar a importância do professor neste contexto. Acredito que a participação, interesse e motivação provém dele. Fatores determinantes para que possamos obter estes resultados, visto que a interação professor- aluno faz com que nasça um ensino aprendizagem significativo na vida de nossos adolescentes”, afirmou.

A Região Metropolitana foi representada, na terceira colocação, pela EEEM Bento Gonçalves, que opera nas dependências do Case Novo Hamburgo. Lá, 19,8% dos adolescentes inscritos passaram para a segunda etapa da OBMEP. “Resumimos esse resultado ao trabalho integrado, o respeito pelo nosso educando e a união do corpo docente, que realiza um trabalho pedagógico com foco e comprometimento, visando sempre a superação”, disse a diretora da Escola, Rosana Jacques Chinazzo.

Próxima etapa
As questões da prova da 2ª etapa serão dissertativas e os alunos devem explicar e exibir os cálculos e o raciocínio empregado. Os adolescentes aprovados neste ciclo serão premiados com medalhas de ouro, prata e bronze. Os vencedores também poderão ingressar com uma bolsa de estudos no Programa de Iniciação Científica Júnior, onde podem estudar matemática e se aperfeiçoar em pesquisa acadêmica. A lista dos premiados será divulgada em 3 de dezembro de 2019.

A Olimpíada
A OBMEP é um projeto dirigido às escolas públicas e privadas de todo o país. É realizada pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), e promovida com recursos do Ministério da Educação e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Texto: Marcelo Vaz
Foto: Galileu Oldenburg / Arquivo Fase

SJCDH - Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos